DESTAQUE

Argentina encerra o ano com crescimento de 41,1% nas vendas de veículos comerciais

Crédito Divulgação Arquivo Iveco

05/01/2022

O mercado argentino fechou 2021 com a venda de 14.827 veículos comerciais (caminhões e ônibus), com crescimento de 41,1% sobre o ano de 2020 em que atingiu o total de 10.510 unidades. Segundo dados da ACARA (Associação de Concessionários de Automotores da República Argentina), o crescimento registrado foi consequência de um trabalho de união entre as fábricas e da rede de concessionárias para garantir os produtos disponíveis nas lojas de todo o país e atender à crescente demanda.

Mantendo o comportamento tradicional do mercado, a Mercedes-Benz liderou as vendas por marcas, atingindo o total de 5.801 unidades que resultaram na participação de 39,1% das vendas totais, com crescimento de 57,2% com comparação com o ano de 2020 (3.690 unidades).

A Iveco foi a empresa que apresentou maior evolução ao completar o ano com 4.166 veículos, com crescimento de 90,9% sobre as 2.182 unidades registradas em 2020. Esse resultado indica o crescimento de 7,8% de participação do mercado da marca italiana, que atingiu 28,1% de market-share e se aproximou a líder Mercedes.

A Scania, na terceira posição em vendas no ano, vendeu 1.575 unidades o que lhe garantiu 10,6% de participação do mercado (contra 12,0% no ano anterior) e o crescimento de 24,9% sobre o total de 1.261 veículos vendidos em 2020.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus vendeu 1.183 caminhões, com retração de 15.0% em relação às 1.409 unidades vendidas em 2020 e 8,0% de participação de mercado.

Por modelos, o caminhão Iveco 170E manteve a liderança, com o volume de 1.784 unidades e crescimento de 62,2% sobre os 1.100 caminhões vendidos em 2020, resultado que corresponde a 12% de participação do mercado. Em segundo e terceiro lugares ficaram os modelos Mercedes-Benz Acello 815 e 1016, com respectivamente 770 e 452 unidades vendidas e crescimento de 54,9% e 35,7%, sobre as 497 e 333 unidades comercializadas no ano anterior.

A expectativa de um ano favorável

A Volkswagen Caminhões espera que 2022 seja um ano positivo em vendas parecido com 2021 em termos de volume de vendas, com a previsão de faturar aproximadamente 1.200 caminhões e ônibus. Seus dirigentes mencionaram que recentemente a empresa realizou a apresentação do e-Delivery, primeiro caminhão elétrico desenvolvido na América Latina, já produzido no Brasil.

O programa de testes e as adaptações necessárias do e-Delivery para o mercado argentino, foram realizadas e serão conferidas nesse programa, como está previsto também para o México e o Uruguay. O e-Delivery, 100% elétrico deverá ser vendido na Argentina no final de 2022 e, além dele, também está programado o lançamento da linha de extrapesados Meteor.

A presidente da Volvo Trucks, Luz Elena Jurado, considera que 2021 foi muito favorável, o que entusiasmou a rede de concessionários com a chegada da linha F e que estão ansiosos por receber as novas unidades. A empresa terminou o ano com a participação de 9% do mercado e trabalha para aumentar o market share.

A Volvo considera que as vendas de 2021 foram excelentes porque a rede não dispõe de estoque e os caminhões que chegam são logo vendidos, ocorrência que muitos não estão acostumados a ver, porque na Argentina os diretores da Volvo Trucks sabem que os clientes estão à espera dos veículos que encomendaram. Por essa ocorrência, a rede de concessionários permanece à espera da chegada dos veículos. E o mesmo ocorre com a venda de peças. Este ano, a Volvo vendeu mais que o esperado.

As previsões da Scania são de continuar o plano trienal de investimentos com o total de 45 milhões de dólares, já aplicado na fábrica de Tucumán e na rede de concessionárias distribuídas em todo o país. Em 2021, a Scania duplicou as vendas de veículos com a tecnologia movidos a gás para tornar o transporte mais sustentável e em termos comerciais a empresa lançou o programa Scania Credit Argentina que atingiu um elevado grau de aceitação dos profissionais do transporte de cargas. Em termos ambientais, a linha Green Efficiency para caminhões e ônibus movidos por combustíveis alternativos ao diesel com foco em gás e biogás, conseguiu grande redução de emissões de CO2, material particulado, óxido de nitrogênio e outros gases contaminantes e prejudiciais à saúde das pessoas e do planeta.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin